O turismo que deixa uma marca positiva

Posted by

A ImpacTrip é uma agência de viagens que põe os viajantes a fazer alguma coisa pelos lugares onde passam. Rita Marques e Diogo Areosa quiseram criar uma forma de viajar que junta turismo com solidariedade. Há programas de cidade e de natureza.

Deixar uma marca boa nos lugares por onde se passa é o desafio que a agência de viagens ImpacTrip faz aos viajantes. Criada por dois apaixonados por viagens, abriu em junho e quer promover o “volunturismo” em Portugal. “Queremos mudar a forma de viajar”, diz Rita Marques, que criou a ImpacTrip com Diogo Areosa, com sede em Odivelas, e programas turísticos em todo o país.

Os turistas podem começar a manhã a visitar uma cidade e terminar o dia a contar a crianças institucionalizadas como se vive no seu país de origem, a ensinar música a jovens em risco ou a servir refeições em cantinas sociais. A partir desta semana, há um novo programa em Amarante que inclui participar na construção de uma casa para uma família.

Parceria com instituições

A intenção é incluir na experiência de conhecer Portugal algum tempo de convívio e participação na realidade social. Isso é feito através de uma rede de parceiros que inclui instituições de solidariedade social. Associações de apoio a crianças e jovens com deficiência, a sem-abrigo, a pessoas com doenças crónicas e com várias outras vocações estão nessa lista. A Abraço é uma delas.

Rita Marques foi consultora de Gestão, já viveu na Holanda, na Hungria e na Malásia, mas foi numa das suas viagens que descobriu outra vocação. “Quando estava na Ásia vi que havia muita gente como eu, que queria viajar num contexto mais envolvente e deixar uma marca positiva”.

Com Diogo Areosa, o seu sócio com formação em turismo e gestão de agências de viagens, começou a trabalhar na ImpacTrip há um ano e a agência abriu oficialmente em julho. Têm tido clientes, sobretudo em Lisboa, e “boa recetividade” nas redes sociais e na Internet.

“A ideia é muito nova e ainda temos que explicar muito bem o conceito. Mas temos tido muito interesse”, diz Rita Marques. Os preços são acessíveis – é possível passar um dia em Lisboa, com visita guiada, almoço, alojamento e algumas horas de voluntariado, por 58 euros.

Os turistas podem ficar até cinco dias e o preço final depende sempre do alojamento. No interior do país, a ImpacTrip privilegia o alojamento local, de forma a estimular a economia de cada lugar. “Está tudo pensado para criar um impacto positivo em cada lugar por onde se passa”, declara Rita.

Nestes primeiros tempos de atividade, a maioria dos clientes escolheram visitar Lisboa. Mas a ImpacTrip tem programas em várias regiões no país e prepara-se para expandir a oferta. Há programas na cidade e no campo (como as atividades em parques naturais), no interior ou na costa (como o ecomergulho).

Fonte: JN

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.